Gosto dos momentos pré-chuva em que todos saem correndo para não se molhar, para tirar a roupa do varal e para fechar as janelas. Parece uma correria pela vida, uma correria de alegria. Gosto principalnente desses momentos por causa da cor do céu que transforma o dia em crepúsculo e por causa do vento que parece carregar as pessoas correndo. Apesar dessa beleza, são poucos que sabem aproveitá-la

Uma dor que dói na alma, que suga a vontade de viver e que faz parecer que não existe felicidade, pelo menos para mim. Uma dor que está presente há tanto tempo que parece que ela me define, que ela substituiu o meu ser. Uma dor que foi escondida e até mesmo esquecida, mas que nunca foi embora. Uma dor que piora por eu não entender o por que de o mundo ser como é, cheio de injustiças e contradições e que dá a impressão de que é impossível ele ser melhor algum dia. Uma dor que simplesmente é e que parece que nunca fará parte do passado.

"A vantagem de ter péssima memória é divertir-se muitas vezes com as mesmas coisas boas como se fosse a primeira vez."

Friedrich Nietzsche. 

(Source: negativar, via livetoglory)

Queria poder pegar meu celular, ligar para você e passar horas conversando do mesmo jeito que nós fazíamos. Mas o tempo não é mais o mesmo nem o sentimento. Pensávamos que ele se manteria forte e vivo não importando a distância e muito menos a falta de tempo. Pensávamos que não seríamos como os outros que deixam o cotidiano apagar o passado. Mas deixamos a dureza da vida apagar nossa chama, apagar o que um dia chamamos de felicidade.

"Mas por que prolongar tanto a vida? Será que ela é tão extraordinariamente bela, rica, prazerosa, que valha a pena continuar a dançar indefinidamente, ou porque, ao contrário, jamais a vivemos plenamente e buscamos o tempo todo uma única chance de viver?"
chademacaco:

#mpl #passelivre #protesto

chademacaco:

#mpl #passelivre #protesto

Dizem que os esportes radicais são uma forma de suicídio, que fumar também é. Mas a maior forma de suicídio e a menos perceptível é viver em uma cidade que vai tirando sua humanidade aos poucos. A falta de tempo, de olho no olho, de conversa faz uma pessoa endurecer, esquecer que aquela pessoa que esbarrou em você também é uma pessoa e assim como você possui problemas.

Chuva

 Hoje deixei uma pessoa na chuva, a pressa e as responsabilidades nao me permitiram parar e ajudá-la. Fui aquela pessoa que menosprezo, aquela que olha apenas para os prédios e esquece dos seres humanos, aquela que tem a arrogância nas palavras. Minha vontade é voltar e ver se aquele homem com um guarda-chuva preto pedindo dinheiro para voltar par casa ainda está lá, mas as mesmas pressa e responsabilidades nao me permitem. A cada dia essa cidade vai me deixando cada vez mais de ferro, já nao me reconheço mais.

 Acho que me deixei na chuva.

Saudade do passado

É triste saber que não tenho mais alguém com quem eu possa desabafar e pedir conselhos. Meus “amigos” estão ocupados com suas próprias vidas e seus próprios problemas e já não reconhecem mais meu número de celular. Mas assim é a vida, apenas mensagens vazias de saudade e de motivação e nenhuma intenção verdadeira de conversar. É sempre um tal de “esta tudo muito corrido, quando acalmar a gente marca alguma coisa” no lugar de uma desculpa. E com isso passam dias, semanas, meses, anos e nada daquele encontro. As pessoas já não se importam mais, aquilo que era importante perde a relevância no cotidiano e cada um se afasta do outro. Sinto falta de um olho no olho, um abraço amigo e uma gargalhada de alguma história mirabolante. Mas a verdade é que nada disso vai voltar, porque todos mudaram e eu sou a única que ainda vive no passado.